quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O Brasil das vendas casadas

Todo mundo sabe que, no Brasil, é peremptoriamente proibida a venda casada. A Agência Nacional de Comunicação (ANAC), no entanto, parece desconhecer. Ou, faz vistas grossas completamente à prática das operadoras de celular e prestadoras de serviços de TV por assinatura. Com o sugestivo nome de Combo, praticado há décadas no País pela McDonalds, por exemplo, a venda casada é praticada, às claras (e pela Claro, também, com o perdão do trocadilho). E nós, afinal das contas, se não ficarmos de olho, seremos roubados, neste caso, às obscuras. Como isso acontece? Dentro dos chamados “combos”, há vantagens para quem autorizar o débito automático das contas. Eis o perigo: pequenas cobranças (em alguns casos, grandes) são adicionadas às contas. Logo, se você, leitor ou leitora, não tem o hábito de verificar o extrato da conta na qual estão autorizados os débitos, passe a fazê-lo porque, em muitos casos, de 10,00 em 10,00, sua conta fica mais gorda a cada dia. Por outro lado, a conta-corrente mais magra.

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

A fortuna para se tirar uma CNH

O discurso que se faz na mídia é em defesa da vida. Mas, ao que parece, se montou uma espécie de oligopólio para serviços cujos preços são proibitivos até para quem, digamos, “ganha bem”. Digo oligopólio (que também pode ser visto como monopólio) porque os preços são tabelados. E ficarei só em quatro exemplos, para não enterrar o dedo na ferida total. Vejamos: Laudo, 168,00; Exame Médico, 320,00; Videomonitoramento, 300,00 e Simulador, 400,00. Um ser humano paga, assim, do nada, 1.188,00 de taxas. Ao final, chega a quase 1.800,00. Some-se os 1.200,00 que as autoescolas cobram e lá se vão 3.000,00. Com muito choro, talvez, se consiga desconto no valor da autoescola. Bem, leitor e leitora, tirar uma CNH consome esta pequena fortuna. Tudo em nome da proteção a nossa vida. Mas, um furo na confortável, no orçamento.

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

A reforma trabalhista e as demissões

Ao ler que um dos meus amigos mais queridos de Manaus, Eduardo Monteiro de Paula, havia sido demitido, senti uma profunda tristeza: um dia antes da minha viagem para a Bahia, encontrei-o, e ele me parecia com a motivação de sempre. Triste por Dudu e pelos demais profissionais, ao mesmo tempo que matutava cá com meus botões: será que não foram exatamente “as facilidades” advindas da Reforma Trabalhista que incentivaram esta substituição dos “mais antigos” pelos “mais jovens”? O processo de precarização do trabalho, na mídia tradicional, tem sido regra, há anos. O retorno do estágio já incentivou, e muito, o rodízio de mão-de-obra. Com a reforma trabalhista, os patrões, com tranquilidade, apontaram o cutelo para o pescoço de quem “custava mais” para as empresas, uma vez que demitir ficou muito mais barato. Esperem, ainda vem coisa pior por aí!

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.